Teste para Mênades

Ir em baixo

Teste para Mênades

Mensagem por Melinoe em Sex 17 Jan - 20:10

The drunks!
Dionisio's friends!


Os mênades são homens e mulheres que adoram Dionísio, e o seguem em suas festanças. São loucos por sua ligação com o deus do vinho, e estão sempre bêbados (seja com vinho de verdade ou, para menores de idade, suco de morango ou uva).

• O Teste •
• Nome:
• Filiação divina:
• Idade:
• O que sabe sobre Dionísio? [Mínimo de dez linhas COMPLETAS]
• Por que quer ser mênade? [Mínimo dez linhas COMPLETAS]
• História de seu personagem. [Mínimo de 20 linhas COMPLETAS]
• Narre um embate com qualquer monstro, escolhido por ti. [Poderás usar os poderes de tal grupo, ao teu nível. Mínimo de 20 linhas]

~tsc~

_________________

Ghost Queen
avatar
Melinoe

Mensagens : 40
Data de inscrição : 02/11/2013
Idade : 33
Localização : Caverninha. sz

Ficha Meio-Sangue
HP:
9999999999/9999999999  (9999999999/9999999999)
MP:
9999999999/9999999999  (9999999999/9999999999)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para Mênades

Mensagem por Channel C. Rowlings em Qua 22 Jan - 15:45

Test for Maenad

Será uma honra totalmente diva ser sua Mênade, Dionísio!



• Nome: Channel Chandler Rowlings
• Filiação divina: Selene
• Idade: Dezesseis anos.
• O que sabe sobre Dionísio? Primeiramente, eu gostaria de dizer como o conheci. A muito tempo, quando eu havia conhecido Percy Jackson através dos livros, eu comecei a aprender a história sobre os deuses e suas conquistas. Quando li Dionísio, descobrindo que ele havia ficado com uma ninfa proibida e como castigo foi enviado como diretor do Acampamento Meio-Sangue. Isso era uma responsabilidade grande para ele, tendo que cortar suas bebidas era então um sacrifício. Dionísio (que é o nome do deus em linguagem grega) é o deus do vinho, que em forma romana é chamado de Baco. Suas seguidoras (chamadas de Mênades) que são selvagens e meio que enlouquecidas, são adoradas por Dionísio e seus poderes são quase parecidas com os de filhos de Dionísio. O deus é meio gordo, bochechudo e sua memória não é a das melhores.  
• Por que quer ser Mênade? Não que eu diga ''porque eu me identifico como uma Mênade'' não é isso, é simplesmente porque eu tenho uma semelhança emocional de uma, por eu ser explosiva e extravagante me faça tornar isso. Talvez por eu não ter sido filha de Dionísio, me faça querer ser seguidora do deus para ter proximidade com ele. Admiro Dionísio desde sempre, já que aquele jeito meio malandro e provocante que dá pra perceber que ele tem, me faz ter um afeto grande por esse deus. Seus poderes são praticamente fantásticos e seria uma honra tão grande poder usá-las e ainda ser algo que eu tanto quero, sem ser pressionada por ninguém. Um hobbie que eu tenho praticamente é ficar ''bêbada'', sempre gostei de vinhos, principalmente os de uva que são bem docinhas e não enjoa muito. Isso encaixa todas as peças para eu ter um motivo de querer ser uma Mênade, principalmente as responsabilidades reais para ser uma.
• História de seu personagem: Todas as noites, eu me sentia completa a luz do luar. Pensativa eu ficava, desejando saber o porquê do abandono de minha mãe e a desaprovação de meu pai.
Talvez eu seja inútil, era assim que eu pensava. Podia ser a mais animada mas eu não era realmente feliz, por quê? Por ausência de pai e de mãe? Não necessariamente, eu tinha um irmão que eu pensava que conhecia por completo, mas eu havia me enganado pois ele possuía vários segredos. Não sabia quais eram, mas sabia que eu um dia iria descobrir. Ele tinha um jeito obscuro e reservado, mas quando criança era feliz e sempre tinha um sorriso no rosto. Era como se fosse uma troca, já que na minha infância eu era uma criança raivosa e ambiciosa, mas o meu envelhecimento foi me tornando alguém animada e serena.
Isso tudo fazia parte de minha história, mas cada dia que se passava eu me conhecia cada vez mais e sobre o meu passado. O mais difícil que fosse, eu sobrevivi mesmo tendo que caçar minha própria comida para sobreviver. Éramos só nós dois, vivendo em NY sem rumo na vida.
Minha vida não era só sofrimento, havia momentos que eu era realmente feliz e que não necessitava de material para sobreviver. Por exemplo, quando nosso pai voltou para nossa casa humilde, dizendo que iria cuidar da gente e que o maior erro dele foi ter nos abandonado.
Nos botou em uma escola pública, onde ficamos por cinco anos de nossas vidas. Não éramos os mais queridos, ficávamos nos cantos da sala esperando a aula acabar e ir para casa. Antes de dormir, eu apagava todas as luzes e observava a lua como se fosse minha única amiga, pois nela eu me sentia forte e determinada, sem medo ou angustia de exatamente nada.
Recentemente, minha vida estava fora de rotina. Percebi que eu estava mudando, estava vulnerável demais que nem eu mesma sabia o que estava acontecendo. Estava sendo grossa com meu próprio irmão e não era de se esperar que ele ficasse apenas chateado comigo. Então, depois desse ataque de rebeldia, fui a caminho da escola normalmente com meu irmão, esperando até a saída para voltar como era antes.
Infelizmente, não foi assim. Fomos abordados pelo professor de história, um homem rígido e que não aceita brincadeiras de mal gosto. Ele dizia gritando e berrando que estávamos sendo perseguidos por um..
— Basilisco? — gritei junto. Ele não gostava de brincadeiras de mal gosto, mas aquilo era como se ele estivesse fazendo uma brincadeira de mal gosto. Rapidamente, ele contou toda a nossa história, sobre a nossa mãe e o que iríamos enfrentar a partir daquele momento. Eu não conseguia acreditar, já que isso fazia parte de mitologia.
Ele havia dito também que não tínhamos mais tempo para ficar de conversa e que a qualquer momento esse Basilisco iria nos matar. Gastando muito de minha energia, paramos em frente a Long Island onde havia um acampamento por perto, um acampamento de verão não qualquer, mas um especialmente para nós, semideuses. E o nome era..
— Acampamento Meio-Sangue. — falei ao olhar para o portão. Entramos rapidamente, dando um fim no perigo de nossas vidas.
• Narre um embate com qualquer monstro, escolhido por ti: Ventava um pouco naquele dia. Havia tido uma chuva no dia anterior, e isso ainda era notável pela relva úmida. Não estava tão afim de ficar no chalé outra vez, já que a alguns minutos eu havia saído da Colina e visto meu irmão com uma garota, que neste momento deveriam estar se beijando. Parei em frente ao chalé, apoiando minha mão esquerda em uma das árvores enquanto suspirava fundo.
Fechei os olhos lentamente, entrando em transe. Imagens surgiam em minha mente e uma sensação de angustia palpitava em meu coração. As imagens não eram muito claras, já que passavam como um flash, dando para perceber somente que alguém estava em apuros na floresta e esse alguém era o..
— Thom! — abri os olhos rapidamente. Não esperei nem um segundo e disparei logo para a floresta, levando apenas comigo o Graal e a faca que estaria em meu bolso.
Diminuí meus passos ao adentrar a floresta, não queria que ninguém percebesse que eu estava presente. De longe, dava para ouvir gritos abafados e de um timbre masculino, percebi na hora que era a voz de Thomas.
— Ai céus. — olhava para todos os lados, mas não encontrava Thomas. Ele deveria estar um pouco longe, mas não sabia aonde.
Clareira? pensei. Nem todos conseguiam passar pela floresta, e ele podia ser um deles. O dia anoiteceu de repente, minha visão noturna estava clara e fixei meu olhar na Clareira. Thomas estava sendo atacado por um monstro sanguessuga.
Meus passos estavam se alongando e cada vez mais eu me aproximava deles. Parei atrás da árvore mais próxima dos dois, desviando meu olhar para Thom fazendo um sinal com o dedo como um ''silêncio". Eu conhecia aquela sanguessuga através de alguns livros que Liam lia, o nome chamado para esse monstro é Lâmia.
A Lâmia amostrou as presas e já foi as aproximando no pescoço de Thom, sugando aos poucos seu sangue.
— Channel! Aaaah! — gritou ele. Não sabia o que realmente fazer, eu tinha medo de matar.
Não deixe alguém que você ame morrer, Channel.. Minha mãe me aconselhava mentalmente, e eu iria seguir seu conselho. Corri contra as costas da Lâmia, passando minhas mãos em seu pescoço na intuição de enforcá-la. Porém, ela envolveu sua calda de cobra em minha cintura, me arremessando na direção da árvore em que a um minuto eu havia me escondido. Apalpei minhas mãos nos short, sentindo a faca que havia guardado a algum tempo. Segurei firme no cabo, esperando que aquela Lâmia me atacasse. Ela se rastejou contra mim, amostrando suas unhas enormes provavelmente para me arranhar. Sem pensar duas vezes, passei a lâmina na calda dela e um líquido avermelhado escorria pela escama. Ela gemeu de dor, mas não hesitou. Veio em minha direção, porém deu um salto em uma das árvores e bateu sua calda contra meu tórax, me arremessando novamente para uma outra árvore.
— Você é fraca.. Urgh. — abri um sorriso. Ela deve ter se sentido ofendida e descontou isso no ataque. Envolveu sua calda em todo o meu corpo, me apertando cada vez mais forte. Olhei fixamente em seus olhos, com uma expressão raivosa.
— Solte-me, agora! — falei firme. Ela estava me soltando aos poucos, o Graal havia caído de minha cintura e logo o apanhei.
Talvez ela ficasse bêbada. Mas dá onde eu encontraria um líquido?, pensei. Infelizmente o efeito da hipnose havia cessado e eu precisava achar um líquido para tornar vinho. Fitei sua calda que ainda estaria cortada e escorrendo um pouco de..
— Sangue! — olhei para o rosto da Lâmia. Nem ligou, queria mesmo é me ver morta. Fechou os punhos e veio novamente em minha direção, desviei da Lâmia apenas rolando em sua diagonal, parando ao lado de sua calda. O sangue estava quase endurecendo, mas eu consegui o suficiente para tornar vinho.
— Chega! — parei na frente da Lâmia. Novamente, ela havia envolvido sua calda em minha cintura e estava apertando bem forte. Não iria usar minha hipnose em vão. Já estava muito cansada, precisava arranjar um jeito. Ela gritou.
Agora! Derramei o vinho dentro de sua boca, torcendo para que o efeito desse certo. E deu. Ela ficou totalmente bêbada, fazendo movimentos estranhos e um desses era me jogar para o alto e me fazer cair em cima de Thom que estaria amarrado.
—  Thom..! — saí de cima do garoto, logo o desamarrando. O puxei para fora da floresta, antes apanhando a minha faca jogada no chão.
— Vamos! Devemos sair daqui ago... — não consegui completar a frase. A tonteira veio primeiro em sinal da fraqueza do meu corpo. Depois veio as ondas de escuridão e a minha visão foi desfocando, até que de repente fui sugada para a escuridão de inconsciência que, agora, parecia extremamente agradável. 


 


_________________

Channel Rowlings
KEEP CALM AND DEIXA DE RECALQUE
CAN YOU PRETEND THAT AIRPLANES IN THE NIGHT SKY ARE LIKE SHOOTING STARS?
avatar
Channel C. Rowlings
Filhos de Selene
Filhos de Selene

Mensagens : 95
Data de inscrição : 17/12/2013
Localização : Interessa?

Ficha Meio-Sangue
HP:
130/130  (130/130)
MP:
130/130  (130/130)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para Mênades

Mensagem por Hécate em Qua 22 Jan - 15:52

Channel, Channel. Eu gostei de seu teste, de verdade. Já conversamos sobre ele pelo Skype, não repetirei as coisas aqui. Teste aprovado.

_________________



Hécate


I have died every day waiting for you... Darling don't be afraid, I have loved you for a thousand years. I'll love you for a thousand more


thanks brittany from @ bg!

avatar
Hécate

Mensagens : 103
Data de inscrição : 01/11/2013

Ficha Meio-Sangue
HP:
100000/100000  (100000/100000)
MP:
100000/100000  (100000/100000)
Arsenal:

Ver perfil do usuário http://demigods-rpg.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Teste para Mênades

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum